Promover a Saúde Pública

domingo, abril 24

ALTERAÇÕES DOS HÁBITOS INTESTINAIS



Uma mudança na frequência das evacuações e na consistência das fezes proporciona pistas importantes sobre o estado geral do intestino. A presença de sangue ou muco nas fezes é um forte indicador de anomalia.
Causas

Basicamente, existem duas mudanças: obstipação ou diarreia. A obstipação encontra-se muitas vezes associada a fezes duras e pode ser causada por vários factores:

Alimentação – a falta de fibras e a ingestão insuficiente de água são as causas mais comuns de obstipação.

Idade – Uma diminuição do tónus muscular da sparedes intestinais pode significar um trânsito mais lento das fezes. A idade encontra-se também associada em muitos casos a uma alimentação pobre em fibras.

Medicação – vários medicamentos podem causar obstipação, como a codeína ou antiácidos.

Situações médicas – Hipotiroidismo e depressão podem causar obstipação.

Obstrução – Se o cólon sofre estenose ou possui tumores, estas situações impede a passagem de fezes.

Dor anal – Hemorróidas ou fissuras anais podem fazer que a passagem das fezes seja dolorosa e induzir relutância em defecar, o que pode resultar em obstipação.

A diarreia envolve uma aumento da frequência e no volume das fezes, que podem ser moles o aguadas, e nelas podem estar presentes muco ou sangue. A maior parte das causas entra num dos quatro grupos seguintes:

Problema alimentar ou infecção – a maior parte dos episódios curtos de diarreia é devida a alimentos ou bebidas (ou uma combinação daqueles e destas) mal tolerados pelo aparelho digestivo ou a uma gastrenterite.

Medicação – a diarreia é um efeito colateral de vários tipos de medicamentos, como antibióticos e antiulcerosos.

Situações médicas – Hipertiroidismo, diabtes mellitus, ansiedade e doença inflamatória do intestino podem resultar em diarreia. A doença celíaca origina com frequência fezes soltas, pálidas e volumosas.

Tumores – A diarreia, sobretudo quando é acompanhada de sangue ou aumento de muco nas fezes, pode ser devida a tumores nos intestinos.

Tratamento

Além do tratamento das causas subjacentes, medidas específicas de curto prazo podem ajudar a reduzir a gravidade dos sintomas dos hábitos intestinais. A ingestão de mais água e a utilização de agentes de volume, que actuam como uma fibra dietética de substituição, podem reduzir a obstipação. A diarreia pode ser igualmente tratada com medicamentos que reduzem a velocidade da actividade muscular das paredes intestinais, como, por exemplo, loperamida ou codeína.

In: Estômago e Aparelho Digestivo