Promover a Saúde Pública

quinta-feira, abril 14

APNEIA DO SONO



O que é?
O Sindroma de Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) é um problema respiratório do sono que se caracteriza por episódios repetidos de interrupção da respiração, apesar de continuar a desenvolver-se esforço para respirar. Apneia obstrutiva é a cessação completa da passagem do ar pelo nariz e pela boca, durante 10 segundos ou mais. Um doente típico terá 5 ou mais apneias por hora de sono. Entre estas pausas respiratórias quase sempre o doente ressona ruidosamente. Como o sono nocturno está sujeito a frequentes interrupções, o doente tem habitualmente uma sonolência excessiva durante o dia.
Qual a frequência?
O SAOS pode existir em todas as idades, mesmo nas crianças. Estima-se que na meia-idade (entre os 30 e os 60 anos) 2% das mulheres e 4% dos homens têm apneia obstrutiva do sono com sonolência durante o dia. As pessoas com maior probabilidade de ter SAOS são as que ressonam alto e ao mesmo tempo têm excesso de peso, ou hipertensão arterial, ou que têm anomalias anatómicas do nariz ou garganta.
Como prevenir?
Medidas de prevenção são todas as que possam corrigir os factores de risco de apneia do sono: a extracção das amígdalas e adenóides nas crianças, e a diminuição do peso nos adultos obesos são as mais importantes. O tratamento das anomalias nasais ou faríngeas e dos defeitos ósseos faciais, bem como a evicção de consumo de álcool, de comprimidos para dormir e de tabaco, podem evitar o aparecimento ou agravamento da apneia do sono.
Qual o tratamento?
A terapêutica depende das características clínicas de cada indivíduo e do resultado do estudo do sono. Evitar o álcool, o tabaco e os hipnóticos, perder peso, e não dormir deitado de costas, fazem parte do programa terapêutico. A terapêutica mais eficaz é o CPAP-nasal (ventiloterapia com pressão positiva contínua por máscara nasal). É um tratamento de natureza mecânica em que o doente dorme com uma máscara sobre o nariz, por meio da qual o ar sob pressão é forçado através das narinas. A pressão do ar é gerada por um aparelho simples, e ajustada de modo a ser a suficiente para evitar o colapso das vias aéreas. Este tratamento impede as apneias e possibilita um sono repousado e continuado. A sua prescrição pressupõe um estudo poligráfico do sono prévio. Em certos casos de SAOS ligeiro ou de roncopatia isolada, têm mostrado resultados as peças orais aplicadas às arcadas dentais. Estes dispositivos, geralmente preparados por estomatologista, funcionam reposicionando o maxilar inferior e a língua.
In: www.saudenainternet.pt, 14 de Abril, 12h:26m