Promover a Saúde Pública

terça-feira, abril 5

Artrose

A artrose resulta da destruição progressiva dos tecidos que compõem as articulações, conduzindo à instalação progressiva de dor, deformação e limitação dos movimentos. Numa articulação normal, os topos dos ossos que a compõem estão cobertos por um material elástico esbranquiçado, a cartilagem, que permite o deslizamento suave dos ossos e actua como uma almofada que absorve o impacto dos ossos no movimento.
Os ossos de uma articulação são mantidos em posição por ligamentos e tendões, que permitem apenas os movimentos normais. Os músculos são também determinantes na manutenção da estabilidade da articulação, sendo esta encerrada numa cápsula fibrosa, no interior da qual uma pequena quantidade de liquido sinovial actua como lubrificante.



Na artrose , começa por ocorrer uma deterioração da cartilagem, que perde a sua regularidade e elasticidade, o que diminui a sua eficácia e contribui para a sua destruição adicional com o uso e traumatismo. Com o tempo, grande parte da cartilagem pode desaparecer completamente.
Na ausência completa da tal "almofada" da cartilagem os ossos roçam directamente entre si , causando sensação de atrito, dor e limitação de movimentos. Com o tempo, podem sofrer deformação visível ou palpável, cuja tradução mais comum consiste nos osteofitos, conhecidos popularmente, na coluna por " bicos de papagaio.
Em alguns casos, fragmentos da cartilagem ou do osso soltam-se para o interior da articulação, podendo bloquear os seus movimentos. Por outro lado, as estruturas de contenção da articulação, como os tendões e ligamentos, são colocados sob tensão excessiva, podendo romper ou inflamar . Estas alterações, que constituem uma importante causa de dor e incapacidade, podem ser eficazmente tratadas, quando a doença é detectada precocemente. Torna-se possível , com tratamento adequado, evitar ou retardar grande parte da destruição da articular e suas consequências.