Promover a Saúde Pública

quarta-feira, abril 20

CANCRO DO OVÁRIO



O cancro do ovário é o mais difícil de ser diagnosticado, tornando-se assim o mais perigoso: quando descoberto é letal em 70% dos casos. Embora não seja o que mais mata em termos relativos - o cancro genital com maior taxa de mortalidade é o do colo do útero - esta neoplasia também faz muitas vítimas.


Factores de Risco:



As mulheres que apresentam diagnóstico de cancro da mama ou intestino, ou têm parentes próximos com esses tipos de cancros são propensas a desenvolver o cancro do ovário. As mulheres que nunca tiveram filhos também têm mais hipóteses de desenvolver a doença. Nesse caso, a ovulação é incessante, e portanto a possibilidade de haver problemas no ovário é maior. Já a gravidez e a menopausa produzem o efeito contrário: reduzem o risco deste tipo de cancro. A amamentação também protege a mulher contra o cancro do ovário. A presença de quistos no ovário, bastante comum entre as mulheres, não deve ser motivo para pânico. O perigo só existe quando eles são maiores que 10 cm e possuem áreas sólidas e líquidas. Nesse caso, quando detectado o quisto, a cirurgia é o tratamento indicado.


Prevenção:



As mulheres devem estar atentas aos factores de risco e submeterem-se depois dos 40 anos de idade a exames pélvicos periódicos e completos (médico e ultra-sonográfico). O chamado exame preventivo não detecta o cancro do ovário, já que é específico para detectar o do colo do útero.


Tratamento:



Se a doença for detectada no início - especialmente nas mulheres mais jovens - é possível remover somente o ovário. Normalmente a operação é feita com um corte longitudinal longo. Os tumores menores são mais fáceis de curar. Quando o cancro do ovário é diagnosticado no início, quando ainda estiver localizado, o índice de sobrevida é de 90%. Esta taxa, para todos os estágios da doença, cai para 42%, porque somente 23% de todos os casos são detectados na fase inicial.


In: www.saudeemmovimento.com, 20 de Abril de 2005

1 Comments:

  • Foi-me diagnosticado aos 47 anos em Dezº/08 quisto no Ovário que evoluira desde Fevº/08 de 50mm para 100mm. Feitas análises imediatas o CA125 estava em 53. Em Fev/09 já o quisto atingira os 150x180mm, fiz extractomia total. Fiz 6 sessões de quimio e estou agora em fase de vigilancia. Tenho Rh negativo. Como poderei saber se nao tenho cancer no figado? Quais os sintomas? Também é silencioso?

    By Blogger Ção Julião, at 5/11/09 17:31  

Enviar um comentário

<< Home