Promover a Saúde Pública

sexta-feira, abril 1

NÃO TEM TEMPO PARA SER ACTIVO? DESCULPAS…



Segundo um inquérito norte-americano, a razão mais comum que as pessoas invocam para não fazer exercício é a falta de tempo. Porém, quando precisamos apenas de 30 minutos por dia, não há desculpa. Para muitas pessoas, o trabalho e a família absorvem a maior parte do tempo, mas é também importante revitalizar o coração incorporando mais actividade física na parte remanescente.

Faça exercício à volta do trabalho

Trabalhar a tempo inteiro parece por vezes consumir a maior parte da sua energia e deixá-lo com pouco tempo livre. Deste modo, precisa de arranjar algum tempo sempre que puder. Há muitas oportunidades para ser activo enquanto se dedica aos afazeres diários.

  • Tente percorrer a pé ou de bicicleta pelo menos uma parte do percurso para o emprego; desça do autocarro duas paragens antes ou estacione o seu carro num local afastado;
  • Aproveite eventuais condições vantajosas oferecidas pela sua empresa para ser sócio de um ginásio ou clube local;
  • À hora de almoço, dê um passeio vigoroso com os colegas por um parque próximo;
  • Use as escadas em vez do elevador; é um excelente exercício para as pernas e o coração.

    Divirta-se em família

Uma vida familiar preenchida pode significar que lhe sobra pouco tempo ou energia ao fim do dia. Mas porque não usar o tempo com a família de forma a tornar-se mais activo? Não só a actividade beneficiará o seu coração, mas também os dos seus filhos, e eles vão gostar do exercício partilhado. Além disso, estará também a proporcionar um modelo a seguir pela próxima geração.

  • Quando for com as crianças até ao parque, leve uma bola e participe nos jogos;
  • Leve as crianças a pé para a escola em vez de usar o carro;
  • Ao fim-de-semana, dê um passeio de bicicleta com a família. Verifique quais são as vias mais adequadas e assegure-se de que os seus filhos pedalam em segurança;
  • Leve as crianças à piscina depois da escola ou ao fim-de-semana. Mergulhe com elas e faça também algumas piscinas.

    In: Peixoto, António; Coração e Sistema Vascular- O seu corpo, a sua saúde, Pág. 84